ismael monticelli

Nascido em Porto Alegre, 1987

Vive e trabalha entre Brasília, 

Rio de Janeiro e Cachoeirinha. 

Lives and works between

Brasília, Rio de Janeiro and

Cachoeirinha, Brazil.

Eu venho de uma família de agricultores e feirantes. A minha geração foi a primeira a concluir os ensinos básicos, bem como ingressar no ensino superior. No final da graduação em artes visuais, em 2010, comecei a desenvolver alguns objetos e fotografias. Mas foi em 2016, que comecei a realizar propostas a partir de pesquisas mais duradouras, envolvendo entrevistas, pesquisa documental e histórica, pesquisa de materiais e objetos, etc.

Um dos temas que mais tem me interessado nos últimos anos é a relação entre ficção, arte e história – principalmente as micro-histórias. Trabalhando a partir de narrativas estabelecidas, tento reorganizá-las, repensá-las e apresentá-las de outras formas, revelando outras facetas que não são vistas, ou que não são facilmente percebidas. Esses experimentos têm gerado proposições em diferentes mídias, instalações, fotografias, objetos e vídeos, sem se restringir a uma única técnica ou categoria. Penso que cada trabalho gera sua própria maneira de fazê-lo, seus próprios elementos e técnicas, que são pensadas e construídas estritamente de acordo com o tema de cada proposição.

Frequentemente, utilizo minha conta pessoal do Instagram como uma espécie de estúdio aberto, onde é possível acessar parte do processo de pesquisa dos meus projetos mais recentes. Para mim, essa rede social funciona como um arquivo, onde coleciono, organizo e publico [usando hashtags e os recursos disponíveis no aplicativo] imagens e informações referentes ao fazer de cada trabalho. Eventualmente, crio trabalhos especialmente para o Instagram.

Artista e pesquisador. 

Foi um dos cinco artistas ganhadores do

7º Prêmio Marcantônio Vilaça [2019]. 

Foi contemplado com uma das três bolsas de

Residência Artística para Artistas Sul Americanos [Programa COINCIDENCIA - Intercâmbios Culturais Suiça/América do Sul, Fundação ProHelvetia], realizada em La Becque Residence D'artistes – La Tour-de-Peilz/Suiça [2019]. Realizou uma residência no Institute of Contemporary Arts de Singapura [2019], desenvolvendo um trabalho a partir de parte da coleção da instituição. Participou da Residência ArtSonica [2019] – Laboratório de experimentação artística, Oi Futuro, Rio de Janeiro – com uma pesquisa a partir da história do Morro do Castelo, relevo que foi o ponto inicial da cidade do

Rio de Janeiro e que foi eliminado da paisagem

no começo do século XX.

Foi indicado ao Prêmio PIPA 2018 [Instituto PIPA]. Ganhou o Prêmio Foco Bradesco ArtRio [2017], recebendo uma bolsa residência e um prêmio de aquisição, e seu trabalho foi incorporado ao acervo do Museu de Arte do Rio - MAR. Ganhou o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea [2015], foi artista destaque na Bolsa Iberê Camargo 2011 [Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre] e ganhou o Festival de Fotografia HTTPpix 2010 [Instituto Sérgio Motta, São Paulo].

 

Atualmente, cursa doutorado em Arte e Cultura Contemporânea [Universidade do Estado do Rio de Janeiro].

I come from a family of farmers. My generation was the first to complete basic education, as well as enter higher education. At the end of my bachelor's degree in visual arts, in 2010, I started to develop some objects and photographs. But it was in 2016 that I started making proposals based on more lasting research, involving interviews, documentary and historical research, research of materials and objects, etc.

One of the themes that has interested me in recent years is the relationship between fiction, art and history - mainly micro-stories. Working from established narratives, I try to reorganize, rethink and present them in other ways, revealing other facets that are not seen, or that are not easily perceived. These experiments have generated propositions in different media, installations, photographs, objects and videos, without being restricted to a single technique or category. I think that each work generates its own way of doing it, its own elements and techniques, which are thought and built strictly according to the theme of each proposition.

I often use my personal Instagram account as a kind of open studio, where I can access part of the research process for my most recent projects. For me, this social network works as a archive, where I collect, organize and public [using hashtags and the resources available in the application] images and information related to doing each job. Eventually, I create

works especially for Instagram.

Artist and researcher.

He was one of the five winning artists of the

7th Marcantônio Vilaça Award [2019].

He was awarded one of three artistic residency grants for South American Artists [COINCIDENCIA Program - Cultural Exchanges Switzerland / South America, ProHelvetia Foundation], held at La Becque Residence D'artistes - La Tour-de-Peilz / Switzerland [2019]. He held a residency at the Institute of Contemporary Arts Singapore [2019], developing a work based on part of the institution's collection. Participated in the ArtSonica Residence [2019] - Laboratory for Artistic Experimentation, Oi Futuro, Rio de Janeiro - with a research based on the history of Morro do Castelo, a hill that was the starting point of the city of Rio de Janeiro and that was eliminated from the landscape at the beginning of the 20th century.

He was nominated for the PIPA 2018 Award. He won the Foco Bradesco ArtRio Award [2017], receiving a residency grant and an acquisition award, and his work was incorporated into the collection of the Museum of Art of Rio; won the Funarte Prize for Contemporary Art [2015] and won the HTTPpix 2010 Photography Festival [Instituto Sérgio Motta, São Paulo].

Currently doing a Phd in Contemporary Art and Culture [State University of Rio de Janeiro].