exercício de futurologia/ futurology exercise/

 

2018/

escritos em giz branco sobre paredes, cartazes impressos sobre papel, maquetes de isopor e palavras em recorte vinílico/ 

white chalk writings on walls, posters printed on paper, styrofoam models and words in vinyl cutout/

dimensão variável/ variable dimension/

O projeto partiu da história do Paço das Artes de São Paulo, que, desde a sua fundação em 1969, nunca conquistou uma sede permanente para seu funcionamento. Em 2016, a instituição foi desalojada – mais uma vez – do seu endereço para ser encapsulado no Museu da Imagem e do Som. De um complexo cultural transdisciplinar de mais de 1.000m², passou a operar em uma sala expositiva de 80m², com uma programação bastante reduzida e fragilizada. Partindo da imagem e das narrativas desse museu “nômade”, que parece estar sempre à deriva a procura de um local para aportar e de sua atual situação residual, o projeto apresentou escritos, cartazes e maquetes. Um grande painel entrópico construído com giz diretamente sobre as paredes propôs, talvez, ideias e pensamentos de caminhos possíveis para a instituição, ao mesmo tempo em que foi entrecortado por diversas perguntas. Nos dez cartazes, ficaram visualmente registradas as palavras, as frases e as expressões que ecoam nas vozes da equipe da instituição. As sete maquetes apresentaram museus que não existem, proposições utópicas – os museus: aporia, afasia, inextricável, imbróglio, misantropo, apócrifo e sonâmbulo. O projeto apostou no rascunho, na imprecisão e na dúvida como forma de prospectar destinos para as instituições artísticas públicas.

The project started from the history of the Paço das Artes in São Paulo, which, since its founding in 1969, has never conquered a permanent espace for its operation. In 2016, the institution was dislodged  once again from its address to be encapsulated in the Museu da Imagem e do Som. From a transdisciplinary cultural complex of more than 1,000sqm, it started operating in an 80sqm exhibition room, with a program greatly reduced and weakened. Starting from the image and narratives of this "nomad" museum, which seems to be always adrift in search of a place to anchor and its current residual situation, the project presented writings, posters and models. A large entropic panel built with chalk directly on the walls suggested, perhaps, ideas and thoughts of possible destinations to the institution, at the same time as it was choppy by several questions. In the ten posters, the words, phrases and expressions echoed in the voices of the institution's staff were visually recorded. The seven models presented museums that do not exist, utopian propositions - the museums: aporia, aphasia, inextricable, imbroglio, misanthrope, apocryphal and somnambulist. The project bet on the draft, imprecision and doubt as a way of prospecting destinations for public art institutions.